Review Dead Space Remake: O que era bom, ficou ainda melhor

Publicado por Renan Hernane em

Review Dead Space Remake: O que era bom, ficou ainda melhor

Dead Space Remake é uma interpretação do título de 2008, com variações sem perder os elementos centrais: envolvimento e empolgação.

Disponível para PlayStation 5, Xbox Series e PC. O jogo produzido pela EA passou por mudanças estruturais em relação à versão clássica de 2008, mas respeitando a história original. Dead Space mantém a sua trama original, mas com novidades, uma delas é a possibilidade de explorar a USG Ishimura com mais liberdade, sem perder o clima de terror. O game conta também com melhorias no sistema de desmembramento dos Necroformos, além da atualização completa dos gráficos, proporcionando uma experiência mais imersiva.

O gameplay ficou mais fluído e a narrativa é contada por meio de um plano sequencial, o que aumenta ainda mais a imersão do player.

Enredo mais aprofundado

Em Dead Space Remake, a história se passa na espaçonave USG Ishimura, que está enfrentando sérios problemas em seu sistema. Esses problemas estão relacionados aos Necromorfos, criaturas humanóides que mataram a maior parte da tripulação. O jogador assume o papel de Isaac Clarke, um engenheiro que chega à nave para realizar uma visita de rotina, mas que acaba ficando preso em um ambiente assustador.

A trama principal do jogo permanece sem grandes mudanças para manter a originalidade do título, que já passou por mudanças significativas no ambiente e jogabilidade. Isaac precisa encontrar sua namorada, a Dra. Nicole Brennan, que sobreviveu ao ataque, enquanto conserta a Ishimura para escapar da nave. Kendra Daniels e Zach Hammond, membros da equipe de Isaac, fornecem orientação e ajuda durante as missões, como no jogo original.

Dead Space Remake (EA Games)

Uma diferença crucial na narrativa em relação ao jogo original é a interação do personagem principal com seus companheiros e com o ambiente. Em 2008, ele não tinha diálogos e basicamente só seguia ordens, mas nesta versão, o protagonista assume um papel mais ativo e reage ao que acontece à sua volta. Clarke tem uma comunicação ativa, fazendo comentários e dando sugestões sobre a situação em que se encontra.

A EA também acrescentou mais informações sobre o universo de Dead Space, o que estimula bastante a exploração da nave. Detalhes adicionais sobre a Ishimura, histórias secundárias de pessoas que sobreviveram aos Necromorfos e observações sobre a evolução dos casos relacionados agora fazem parte da lore do jogo. Além disso, outra novidade importante é a presença de um final alternativo para aqueles que quiserem jogar novamente no modo New Game+.

Exploração é crucial

O remake amplia bastante a exploração da Ishimura. Agora, é possível percorrer terminais em um trem, voltar em salas já visitadas para abrir novos caminhos e realizar missões secundárias para descobrir mais detalhes sobre o que está acontecendo com a nave e sua tripulação. Além disso, em meio aos sustos com ruídos e Necromorfos aparecendo de surpresa, essas visitas são sempre distintas.

Durante essa jornada, o combate tradicional de Dead Space retorna, com o desmembramento dos inimigos e a necessidade de criar estratégias com sua Cortadora de Plasma e outras armas. Por exemplo, quando se depara com muitos Necromorfos em uma sala, é possível reduzir seus movimentos com a Estase, controlar e arremessar objetos nos oponentes para, então, eliminá-los ou mudar o foco da luta por um momento.

É crucial estar atento ao ambiente para encontrar maneiras alternativas de combate. Embora haja uma boa quantidade de munição disponível na Ishimura, é possível que você fique sem pentes de carga por um tempo ou precise encontrar lojas para recarregar seu estoque.

Dead Space Remake (EA Games)

Os Necromorfos presentes no jogo são os mesmos do original, mas com variações de ataque, resistência e movimentação. Em todas as situações, é recomendado que você os desmembre. Não adianta tentar acertá-los na cabeça ou com muitos tiros seguidos, pois eles sobrevivem e continuam atacando, deixando Isaac em uma situação perigosa.

Para evitar esse problema (e economizar sua munição), é importante adotar uma abordagem estratégica, atirando nos braços e pernas (quando possível) para atrasar o ataque do inimigo e, finalmente, matá-lo. No entanto, em algumas situações, outras ferramentas, como o lança-chamas, podem ser úteis para lidar com certos tipos de Necromorfos.

Vale a pena?

Em meio a uma onda de remakes, o lançamento de Dead Space serve como um modelo para outros estúdios que desejam se destacar com suas reinterpretações. O jogo foi reconstruído, mas preservou a trama original de maneira fiel. A experiência aterrorizante e imersiva foi mantida, mesmo com o estilo sandbox, que oferece liberdade para o jogador se movimentar à vontade. A exploração foi ampliada e novos detalhes interessantes da história foram adicionados. O jogo é focado no terror, mas não apela para violência gratuita, embora mostre cenas explícitas de sangue, decapitação e amputação de membros de Isaac.

Dead Space Remake (EA Games)

Notas

  • Diversão: 9
  • Jogabilidade: 9
  • Visual: 10
  • Som: 9
  • Geral: 9

Esta review foi realizada através do jogo para PlayStation 5, cedido gratuitamente pela EA Games.


Veja outras reviews e siga a Passe o Controle nas redes sociais!

About Author


Renan Hernane

Pai do Oliver. Editor-chefe da Passe o Controle e analista de mídia.

0 comentário

Deixe um comentário

Avatar placeholder

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.